Destaques

Quem gosta da combinação arroz com feijão notou que o prato ficou mais barato nos últimos meses O motivo...


Só Feijão

Só Feijão - 24/10/2014 08:07

FEIJÃO CARIOCA 

24/10/2014 07:30 – No campo, junto aos produtores, pudemos perceber uma discreta mudança, com uma melhora modesta no volume de negócios. Ontem, em contato com empacotadores, percebi que eles notaram um maior volume de vendas. Os produtores também registraram um aumento de demanda. Nada suficiente para mudar o patamar de preços, porém isso indica que poderemos ter na próxima semana um maior volume de negócios.  As referências foram, para o feijão nota 9, R$ 90 no interior de Minas Gerais e Goiás.  Em São Paulo, o recém-colhido nota 9 foi vendido por R$ 100/105. O nota 8 permaneceu em R$ 75 no Mato Grosso.

 

23/10/2014 07:30 – Ontem foi reportado, de várias cidades diferentes de Goiás e Minas Gerais, que muito timidamente foram registradas vendas, porém ainda de pequenos volumes. As referências, no entanto, não foram alteradas. Para o feijão nota 9, o preço chegou até R$ 90 no interior de Minas Gerais e Goiás. O nota 8 permaneceu em R$ 75. No interior de São Paulo, o ritmo de colheita coincide com a demanda até o momento e não há excesso de oferta deste que, em sua maioria, é um produto nota 9 um pouco miúdo, que mantém a referência de R$ 100/105 por saca de 60 kg.

22/10/2014 07:30 –  “O telefone tocou!” Foi com uma alegria rara, nos últimos dias,  que um produtor amigo, do noroeste de Minas Gerais, ligou ontem à  tarde e relatou esta novidade. Sim, nos últimos dias, o telefone tocar, com um comprador de feijão do outro lado, virou raridade. Melhor ainda foi quando, no espaço de 2 horas, o telefone voltou a tocar mais duas vezes. Será que o vento mudou? Muito cedo para afirmar categoricamente, mas o feijão que sexta-feira não tinha comprador ontem recebeu oferta de R$ 85 e hoje vendeu por R$ 90, isto um nota 9 no noroeste de Minas. Já para o feijão nota 8, a oferta foi de R$ 75. Com as pequenas ofertas de feijão extra no estado de São Paulo sendo vendidas rapidamente por R$ 100/110, a verdade é que, depois de o mês todo sem compradores, em algum momento a movimentação no mercado vai voltar a acontecer. A intensidade não deverá ser tão grande, mas o consumidor segue se alimentando bem e uma hora o feijão da despensa acabará.

21/10/2014 07:30 – Alguns fatos podem estar alterando o quadro de abastecimento. Em um momento em que toda a economia está em compasso de espera, surge toda semana notícias de algum pequeno polo de produção. Recentemente ainda, por exemplo, o Globo Rural, mostrou colheitas de pequenos volumes no Nordeste. Estas pequenas ofertas vêm abastecendo também o mercado. Isto retarda a presença de nordestinos no interior  de São Paulo. Consequentemente, os valores praticados no interior de São Paulo se mantêm ao redor de R$ 105/110. Ontem, os telefones não tocavam no noroeste de Minas Gerais e em torno de Brasília, refletindo ainda o mais longo período de mercado lento dos últimos anos, segundo empacotadores de todo Brasil. Assim, as referências em Minas e Goiás permanecem entre R$ 75/80,00, para o feijão nota 8. Já no Mato Grosso, R$ 70/75,00 para um produto nota 8/8,5.

20/10/2014 07:30 – A princípio, a semana que se inicia não deveria trazer surpresas. É mais uma semana de meio de mês, típica, em que não costuma haver movimentações mais importantes por parte dos compradores. Porém, tenho que considerar que as vendas estão muito pequenas e, em algum momento, os compradores serão forçados a voltar ao mercado. Se o raciocínio for este, melhor antecipar e não entrar junto com todos na última semana do mês. Ocorrendo esta situação, veremos uma antecipação das vendas que poderiam acontecer mais intensamente na próxima semana. De um lado, aumentará a colheita de feijão no estado de São Paulo, de outro, poderemos ter mais compradores, além dos paranaenses comprando por lá. Entendo que o quadro irá se definindo durante a semana. Tenho ouvido muita gente reclamando do volume de venda e relacionando isso com o quadro de incerteza política. Não é para menos… De um lado há a Dilma e a turma do PT dizendo que estamos perto do paraíso, de outro o Aécio prova que o inferno já está começando. Neste ambiente, a semana será das piores, pois é a última antes das eleições.

 






ITR
MIAC

Ipesa
Marambaia


Pipoca

Pipoca do Brasil para o mundo

No campo, a capitalização dos produtores brasileiros, que ocorreu com a valorização da soja nos últimos anos, tem permitido que experimentem lavouras alternativas, como girassol, milho branco, gergelim, painço, chia e tantas outras. A diversificação das lavouras brasileiras está redesenhando o mapa de suprimentos mundial.   Neste momento, destacam-se os recordes de produtividade das lavouras […]

Amendoim

Nutricionista lista benefícios do amendoim e ensina paçoquinha light

“O amendoim, com moderação, tem muitos benefícios para a saúde”, diz a nutricionista Karin Honorato, que listou as propriedades do alimento e adaptou uma receita típica das festividades juninas. Ele tem ação anti-inflamatória, é rico em gorduras boas e em ômega-3 e, por isso, ajuda a diminuir o risco de doenças cardiovasculares. As sementes guardam […]

Em SP, produtividade e preços prejudicam produtores de amendoim

Código genético do amendoim está próximo de ser sequenciado

Trigo

Argentina autorizará exportação de 400 mil t de trigo da safra 13/14, dizem fontes

A Argentina vai autorizar esta semana a exportação de 400 mil toneladas de trigo da safra 2013/14, disseram à Reuters fontes do setor nesta quarta-feira A cota é adicional a 1,5 milhão de toneladas da safra encerrada para as quais o governo já autorizou a exportação. Uma das fontes, familiarizada com a situação, disse que […]

Arroz

Arroz: Atraso no plantio eleva custos e gera apreensão no setor

Com a semeadura do arroz concluída em apenas 16% da superfície de 1,11 milhão de hectares prevista para a safra 2014/15, e faltando 25 dias para expirar a época recomendada para tal operação, os arrozeiros gaúchos voltaram  esta semana ao preparo de solo e plantio de suas lavouras. Mais de 50% da área deveria estar […]




APP home